sexta-feira, 31 de julho de 2015

"CHORAR?" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"

 
 
 
 
Técnica mista  (Malay - Novº 2008)
 
 
 "Fui eu nas folhas de um livro encontrar,
uma rosa espalmada, ressequida!"
Recordações de um dia de uma vida,
que alguém não conseguisse desfolhar!
 
Como se ela quisesse ali guardar,
nas pétalas de dor esvanecida,
o sangue derramado de uma ferida,
de amores que ninguém quis aceitar!
 
Não me digam que é feio alguém chorar,
quando já muito pesam os sofrimentos.
É preciso a coragem de entornar,
 
Sozinho, no silêncio e sem lamentos,
as lágrimas da taça a transbordar,
onde vão os meus próprios sentimentos..."
 
(Poema de Zé Ninguém)
 
 
 
 
 
 
 


"ALELUIA!... ALEUIA!..." (Poema de uma avó)

 
 
 
 
Técnica mista  (Malay - Novº 2008)
 
 
 
Aleluia!Aleluia!
Ao Senhor do Universo,
lhe rendo a minha homenagem
e lhe escrevo tudo em verso.
 
Ele é o nosso Pai Celeste,
e todos somos irmãos,
portanto, oh meus amigos,
vamos todos dar as mãos.
 
Que haja sinceridade,
muito amor, muito carinho,
e Deus nos ajudará
a encontrar o caminho.
 
O caminho da verdade,
o caminho do amor,
caminho de felicidade,
para alcançar o Senhor.
 
A caminhada é penosa,
e há que ter muita fé,
Deus do alto ajudará
a irmos p'lo nosso pé.
 
Só assim terá valor,
para a nossa evolução,
e Deus nos dará amor,
e também o seu perdão.
 
Dai-lhe pois, graças sem fim
Que Jesus é nossa Luz.
Ele é o nosso Jardim,
e por nós morreu na cruz. 
 
No Jardim do Paraíso,
onde há só cor e beleza,
onde o mal não pode entrar
e onde não entra a tristeza.
 
É para lá que eu quero ir,
Deus me estenda a sua mão,
lhe dou todo o meu amor
e a minha gratidão.
 
E eu cantarei ao Senhor!
Eu lhe dou graças sem fim,
eu lhe peço muito amor,
que goste muito de mim.
 
E que Deus faça justiça
Nos livre desta agonia
E o Senhor seja louvado
Pai Nosso e Avé Maria!
 
 
 
(Poema de uma Avó, Mãe e Mulher - C.R.)
 
 
 
 
 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

"O SOL E O VENTO" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"

 
 
 
 
Pintura a óleo sobre tela  (Malay - Novº 2008)
 
 
Quando um velho, com frio, caminhava,
Logo que o viu, o vento desafia
o sol, p'ra qual manta tiraria!
__ Logo um rígido vento lhe soprava...
 
Ou o vento ou o sol lhe retirava,
A manta com que o velho se encobria.
E logo já tombava e já caía,
E à manta com mais força se agarrava!
 
Dum vento furioso se tratava,
Uma coisa a fazer medo e terror!...
__ A seguir, foi a vez do sol que andava,
 
Rutilando p´lo mundo o seu calor!
__ Dali a pouco, o velho retirava
A sua manta, num gesto de amor.

 
 
(Poema de Zé Ninguém)
 
 


 
 
Técnica mista  (Malay - Novº 2008)
 
 
 



"REVIVENDO" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"






 
Técnica mista  (Malay - Novº 2008)


"Há cores vivas no som de um clarim!...
__ A Primavera volta: _ e esquecida
a minha alma então fica embevecida
a meditar se a vida é sempre assim?

... E volta sempre linda no cetim
desalinhado em que ela vem vestida!
Traz o encanto viril da própria vida,
traz o perfume e as cores de um jardim.

Não volta mais a nossa mocidade!
... Eu venho então amor, deixar-te aqui
o lenitivo duma saüdade,
A saüdade de como eu te vi
no dia em que tive esta felicidade
de conseguir gostar tanto de ti."


(O legado que fica para os seus vindouros) - (26-III-947)
(Poema de Zé Ninguém) 
 



 

FLOR DA AMIZADE e CELINE DION




 

_ "Se não podes vir, eu vou aí. É só dizeres..."; "Se queres ouvir Celine Dion é procurar na NET. Outro tipo de música não. Hoje, não..."
 
E assim fiz acompanhada dos meus fantasmas, talvez, mas com uma tranquilidade profunda.

Se calhar não há anjos com asas, mas há amigos que sem vacilar e sem asas num instante se disponibilizam para nos poder acompanhar.
 

 
 

"A MENINA DO MAR" - com o poema de Sophia de Mello B.Andresen

 
 
 
 
O poema me levará no tempo
Quando eu já não for eu
E passarei sozinha
Entre as mãos de quem lê

O poema alguém o dirá
Às searas

Sua passagem se confundirá
Com o rumor do mar com o passar do vento

No ar claro nas tardes transparentes
Suas sílabas redondas

(Ó antigas ó longas
Eternas tardes lisas)

Mesmo que eu morra o poema encontrará
Uma praia onde quebrar as suas ondas

E entre quatro paredes densas
De funda e devorada solidão
Alguém seu próprio ser confundirá
Com o poema no tempo



 
 

(Poema de Sophia de Mello Andresen retirado do "Blog" - "Menina do Mar")



 
 
 
 
Não estes cristais não são de sal de um mar azul. Não são da tinta que lavou os meus pincéis com terebentina. São os cristais do meu filho que qualquer químico poderá identificar. A diferença está no tempo e no carinho com que foram conservados qual experiência milagrosa que pode curar os males do Mundo. Tarefa demasiado pesada para uma criança, uma só mulher ou homem, mas para a qual podemos todos contribuir um pouco. A chuva não é azul, o mar não é azul, o céu não é azul... Mas os nossos sonhos podem ser da cor que nós quisermos. Sonhemos HOJE para ajudar o AMANHÃ.
 
 
 
Quando o sonhos se tornam realidade a vida toma sentido...


 
 (*****)
 
 


CONTOS INFANTIS - "O CACHO DE UVAS E UM BRINDE À VIDA"

 
 
 
 





 

ATÉ SEMPRE...

 

CONTOS INFANTIS - "O MORANGÃO"








CONTOS INFANTIS PARA TODOS... EM TEMPO DE FÉRIAS!

 
 
 
CHOVAM O CÔCOS...
 





 
BOAS FÉRIAS!...
 
 

CONTOS INFANTIS - PARA TI E TODOS OS MENINOS...

 
 
 
A DÁDIVA DA LARANJINHA...
 
 
 






 
(Malay -2008)
 
Inspiração: Mary Jane
Realização: Tia Malay
Co.produção:Zé
 
 
Um DIA FELIZ!...
 
 
 
 
 

quarta-feira, 29 de julho de 2015

"ACEITAÇÃO" - PALAVRAS DE WILLIAM JAMES

 
 
 
 
(Pontal de Maracaípe - Recife / Brasil)
 
 
A aceitação do que aconteceu é o primeiro passo para superar as consequências de qualquer adversidade.
 
A verdadeira PAZ só a encontramos dentro de nós na maneira como vemos o nosso pequeno mundo que não é mais do que uma gota no Oceano.

Obrigada Senhor pela Paz que encontramos quando te conhecemos...

A VIDA vale a pena pelos pequenos momentos que vivemos e aprendemos a enfrentar sejam eles bons ou maus.


 
(Texto inspirado em texto de William James)
 
 
 

"CARPE DIEM" - heterónimo de Fernando Pessoa (Ricardo Reis)


 
"Amo o que vejo pelo que deixarei"

(Ricardo Reis (Heterónimo de Fernando Pessoa))
 
 
Carpe diem é uma frase em latim de um poema de Horácio, e é popularmente traduzida para colha o dia ou aproveite o momento. É também utilizado como uma expressão para solicitar que se evite gastar o tempo com coisas inúteis ou como uma justificativa para o prazer imediato, sem medo do futuro.
 
 
 
Perto - (Portugal - 2015) 

 
Longe - (Brasil - 2002)
 
 
 
 
O MEU PARAÍSO ESTÁ ONDE ESTIVER A MINHA FAMÍLIA, os meus amigos, ou seja, dentro do meu coração...
 
 
 
 


terça-feira, 28 de julho de 2015

HOJE!

 
 

Foz do rio Tejo - Lisboa/Portugal (Malay - 27/7/2015)

 
 
HOJE
é o dia mais importante das nossas vidas sempre que lhe dermos o cuidado que merece...

Daqui partiram a naus que deram novos mundos ao Mundo, quando o "mundo" era este pequeno rectângulo no extremo ocidental da Europa!...

HOJE
Descobrimos que há muitos outros Mundos para além do nosso.
Por isso, tratemos de cuidar do mundo que é o nosso,
começando pelo interior de nós próprios...

Comecemos HOJE!...

 

 
 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

CARTA DE NELSON MANDELA A WINNIE MANDELA


 

Navegava na NET, quando encontrei esta carta de Nelson Mandela, não resisti a colocá-la nesta catadupa de sentimentos que me tem acompanhado... No nosso desenvolvimento os factores externos não dependem só de nós mas não sei se os internos serão assim tão fáceis de alcançar. Nem sempre o que parece fácil o é. É preciso ter-se o DOM da aceitação, da sabedoria, da autoestima, do conhecimento e capacidade de perdão pelas nossas faltas e pelas dos outros. Ao escrevê-lo, pensou em todos nós seres humanos com as virtudes e defeitos que possamos ter. Porque não somos perfeitos. E perfeitos só os amigos que não têm asas de anjos mas asas para voar para o pé de nós nos momentos mais ou menos felizes das nossas vidas.

Ao reescrevê-lo, dedico as suas palavras aos meus Amigos, em particular.  


 
 
"Ao avaliar o nosso progresso como indivíduos, tendemos a concentrar-nos nos factores externos como a nossa posição social, a influência e a popularidade, a riqueza e o nível de instrução. Como é evidente, são importantes para medir o nosso sucesso nas questões materiais, e é bem compreensível que muitas pessoas se esforcem principalmente por alcançar todos eles. Mas os factores internos podem ser ainda mais cruciais para determinar o nosso desenvolvimento como seres humanos. A honestidade, a sinceridade, a simplicidade, a humildade, a pura generosidade, a ausência de vaidade, a prontidão para servir os outros - qualidades que estão facilmente ao alcance de qualquer criatura, formam a base da nossa vida espiritual."


(Nelson Mandela, Carta a Winnie Mandela, 1 Fevereiro 1975)


A APRENDIZ...




 
Etapas finais de quadro inspirado na NET de Clara Van Zeller (Julho/2015)(*)


Bailarina(o), pintor/a, cantor/a, música/o... de meninas(os) o desejo que parece fácil, imediato quando tudo deveria ser possível...
 
Mas a capacidade de concretizar os nossos sonhos nem sempre está ao nosso alcance. Ainda assim, pode haver uma forma de contornar a realidade se formos esforçados e quisermos concretizar alguma coisa que nos realize.

Não pudeste ser bailarina, pintas agora o teu sonho que parcialmente se realizou... Descansas, agora, na tela os sonhos que sonhaste de menina... Descansas nos degraus da escada os pés em pontas, o tule da saia esvoaçante e bebes os conhecimentos que agora te são possíveis...



 
Pintura a óleo sobre tela de Clara Van Zeller(*)(2014)
 
 
 
 
Pintura a óleo sobre tela de Clara Van Zeller (*) (2015)