domingo, 28 de setembro de 2014

COMEÇO DE UM NOVO DIA...




(Malay* - 2010)


Cada um cumpre o destino que lhe cumpre,
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,
Nem deseja o que cumpre.
Como as pedras na orla dos canteiros
O fado nos dispõe,ali ficamos;
Que a sorte nos fez postos
Onde houvemos de sê-lo.
Não tenhamos melhor conhecimento
Do que nos coube que de que nos coube
Cumpramos o que somos.
Nada mais nos é dado.



Odes/Ricardo Reis


terça-feira, 16 de setembro de 2014

DA NOSSA JANELA VEMOS O MAR...








Da nossa janela vemos o mar,
mar de sonhos, fantasias e alegrias...
Um mar em que as estrelas se perdem na noite,
e em que o sol se encontra pela manhã...


"Por céus e mares eu andei
Vi um poeta e vi um rei
Na esperança de saber o que é o amor
Ninguém sabia me dizer
E eu já queria até morrer
Quando um velhinho com uma flor assim falou

O amor é o carinho
É o espinho que não se vê em cada flor
É a vida quando
Chega sangrando
Aberta em pétalas de amor"





("O Velho e a Flor"- Poema de Vinicius de Moraes; Fotos de Malay 2014)



segunda-feira, 15 de setembro de 2014

"UM COPO E DUAS FLORES"





("Um Copo e Duas Flores", inspirado em quadro retirado do Pinterest)
(Setembro - 2014)


Unidas... Ai quem pudera
Numa eterna Primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as flores da vida
Na rama verde e florida.
Na verde rama do amor! 

(Poema retirado e adaptado de Castro Alves) 


sexta-feira, 5 de setembro de 2014

FLOR





(Foto tirada pelo R. - Junho/2014 - "A beleza, por vezes, está mesmo debaixo do nosso nariz...")



Sê um rio que flui tranquilamente e uma flor que espalha o Sol...





quinta-feira, 4 de setembro de 2014

SOMOS O QUE FAZEMOS... (Padre António Vieira)





"Materialização dos teus Sonhos" 
(Técnica  mista - Malay*- Julho/2014)


"Nós somos 
o que fazemos.
O que não se faz não existe.
Portanto, só existimos
nos dias em que fazemos.
Nos dias em que não fazemos,
apenas duramos."

(Padre António Vieira) 



quarta-feira, 3 de setembro de 2014

PÉTALAS DE ROSA





Setembro...
O Verão chega ao fim.


Outono derruba as minhas pétalas, mas não destrói a memória do meu perfume... na próxima Primavera terei as minhas pétalas de novo antes que outro Outono venha e as leve outra vez...